Arquivo da tag: campo rupestre

Atividades em Igatu, o que voce pode fazer aqui

A Vila de Igatu fica bem  no centro do Parque Nacional Chapada Diamantina em uma regiao rica de atrativos Naturais nell Estado da Bahia no Brasil.

A vila como um todo e fantastica e uma viagem no tempo, pode-se caminhar por trilhas antigas cheias de historia e ruinas de moradias garimpeiras.

Admirar os passaros, as borboletas, os insetos e as plantas do Campo Rupestre ecossistema considerado o mais rico da Chapada como ecodiversidade. As vezes dar de cara com algum animal, mamifero, reptil ou  anfibio.

Escutar a prosa dos antigos garimpeiros nos bares e praças da Vila ou  iniciarse na pratica de rappel ou bolders

Se interessar pela rica historia local visitando o Museo da Vila a ceu aberto ou o Centro Cultural Chic-chic, os ateliers de ceramistas, pintores ou a Galeria de Arte e Memoria.

Visitar o Poço Encantado, tomar banho no Poço Azul no Municipio de Itaete.

Refrescarse nas muitas cachoeiras e poços de agua pura ao redor da Vila.

Conhecer e andar de canoa no Marimbus, o Pantanal da Chapada.

ATIVIDADES:

Trekking (caminhadas)

Mountain bike (pode alugar uma bici ou trazer a sua)

Escalada em rocha ( contate a agencia local www.igatuescalada.com ) A Igatu Escalada Trekking é uma operadora de turismo de natureza e aventura, especializada em atividades de ecoturismo e montanhismo.

Caving (exploraçao de cavernas)

Birdwitching ( observaçao de passaros)

Fotografias ( safari fotografico)

Roteiro historico e cultural

Fauna de Igatu

Ao redor das casas da Vila de Igatu nos jardins e fundos das casas, os antigos garimpeiros e moradores plantaram uma infinidade de frutiferas. Tem mangas, bananas, limao, uva, jabuticabas, jacas, pinhas, cafe, Goiabas, araças, pitangas. Isto atrae os passaros e tambem morcegos e marsupiais.O canto de tantos passaros junto ao canto dos galos sao bem caracteristicos das manhas igatuenses.A observaçao de passaros e uma atividade a ser explorada visto a alta diversidade e a quantidade.Nas trilhas voce avistara passaros facilmente de todo tipo e tamanho. Tem beijaflores especialmente o gravatinha vermelha, o  sofre, o ventivi e o sabia.

A pesar de anos e anos de caça indiscriminada na Area da Chapada Diamantina, hoje pode-se encontrar diversos animais silvestres andando livremente.

Caminhando silenciosamente pelas trilhas voce pode avistar o moco ( kerodon rupestris) tomando sol encima das pedras.

De noite o rabudo, o sarue,( gamba) um marsupial que gosta de frutas se avicina ao povoado.

Ja crucei com onça pintada que atravesou na frente do meu carro e com muita agilidade deu tres pulos e sumiu no canto da estrada. Ja vi muitos tatus, teius, veados.

Tem cobra sim, e muita e de todos os tipos, tem que andar com cuidado e atencao. Tem a jararaca, a cainana, a cascavel, a coral e outras como a jiboia. E  embaixo das pedras pode se dar de cara com escorpiao e aranhas. Nas regioes mais afastadas e vecinho ao rio Piabas, se avistamos veados de pequenho porte, pode se achar  tatu bola, queixada, micos o saguis

Infelizmente a fauna foi foi muito dizemada pelos garimpeiros e a te hoje a caça e uma pratica muito difusa Sendo usada variadas formas para caçAr desde a espingarda, as armas caseiras e as arapucas para prender vivos ou matar os animais geralmente para comer.

Reflexao:

Segundo Ruy Funch no livro um guia para a Chapada diamantina: A caça nao e necessariamente incompativel com a preservaçAo da vida selvagem quando e feita de maneira racional. Inclusive, sem a presença de predadores naturais, cabe ao homem regular as populaçoes de animais selvagens atravex da caça controlada. Mas a caça predatoria, aliada aos incendios que os caçadores costumam tocar na serra, certamente tem que ser eliminado. Caso contrarioa populaçao animal nunca mais se recuperara.

 

Flora de Igatu

A vegetaçAo da regiao da Vila de Igatu e a conjunçao de diversos eco-sistemas. Os estudiosos botanicos a denominam Campo Rupestre, caracterizada por plantas xerofitas adaptadas a poucas chuvas. Inclusive tem muitas plantas que absorvem umidade pelas folhas. No campo Rupestre encontra-se cactos entre eles o Xique Xique e o mandacaru, orquideas que crescem encima de pedras e com isolaçAo extrema durante o dia e grande amplitude termica. nat e capodan2012 003

 

Nos campos rupestres tambem incontram-se partes sombrias e umidas perto dos corregos e rios com liquenes. No fundo dos cannions onde corre agua o ano todo tem a formaçAo de nome: mata de grotao, com arvores de grande porte. Caminhando pelas trilhas entre as pedras nao e dificil encontrar bromelias e velozias, arbustos pequenos e algumas arvores de porte torto e crecimento lento. Podemos falar que estamos caminhando no meio a um jardim natural entre pedras de beleza cenica e plantas de formas raras e unicas pois sao endemicas. Tem epocas do ano que as velozias florecem em todo o seu esplendor e cores de roxo, lilas ou brancas. Mais sempre tem plantas floridas no Campo Rupestre devido a alta quantidade de diversas plantas que o formam. Prevalece a cor amarela nas flores ao redor da Vila de Igatu. Junto ao verde das folhas e o azul do ceu Temos as cores da Bandeira do Brasil na mesma Natureza! Que beleza! Aproveite para caminhar e conhecer a quantidade e a diversidade dos Campos Rupestres ao redor da Vila de Igatu, na trilha para a Rampa do Caim ou a caminho das cachoeiras e corregos, tambem nas velhas trilhas dos garimpeiros ou na estrada de pedra indo ou vindo de Andarai.

Entrada de Igatu

Sem duvidas a estrada para chegar a Vila de Igatu que nasce na BA 142 e a mais interessante e a que da uma amostra de como e o lugar e de sua historia, visto que percorre diversos garimpos, amontoados de pedras e regos antigos.

primeiras casas de Igatu

primeiras casas de Igatu

A paisagem e deslumbrante, o caminho e tudo feito de pedras com infinidade de curvas, onde podem ser observadas a flora particular dos campos rupestres e as vezes a fauna do lugar.

A pesar que da a impresao de nao chegar nunca a Vila o caminho nao e mais que 7 km e ja no ultimo km a Vila de Igatu aparece no contraforte da Serra do Sincora como um presepio, primeiro se avista a Igreja de Sao Sebastiao e o Cementerio, logo depois a Vila, o casario no meio a vegetaçao esuberante dos quintais  com mangueiras, bananeiras, goiabas, pitanga e outras plantas frutiferas.

Mais proximo do povoado vamos dar de cara com casas costruidas encima de rochas altas e ingremes

Na beira de penhascos.chapada diam2013 012

Ao cruzar o Rio Coisa Boa depois da ponte, entraremos na Vila de Igatu  por uma rua estreita ladeados por muros de pedras e observaremos as primiera duas casas todas feitas de pedras sobre pedras. A primeira impresao e fascinio pelo diferente do lugar e pelo exotico.

A viagem para chegar a Igatu compensa a sua dificultade com a beleza da paisagem-A estrada nace exatamente entre as pontes dos rios Piabas e Coisa Boa na BA 142.

Paralela a estrada de carros tem uma trilha antiga usada pelos garimpeiros e tropeiros em viagem desde a Passagem do rio Paraguassu a te Igatu e continuando para Mucuge. Foi usada por decenios.As mercadorias chegabam e circulabam por esta trilha.

A Trilha vai beirando o rio Coisa Boa  de um lado e a carrozavel beira do outro lado e  cuasi toda calçada de pedras antigas e vai entrar ao Igatu pelo Bairro em ruinas de Luiz dos Santos

Pasa pela porta da Igreja e Ceminterio e chega na praça principal de Igatu.bici a Igatu 004

E uma trilha para caminhar. Subir ou descer de bike. Sem duvidas e uma das trilhas mais bonitas do parque Nacional, no meio da trilha tem banho do rio e cachoeira do rio Coisa Boa. Para os mais curiosos e mediante um guia local pode visitar a cachoeira mais importante do local chamado de California, especial para tomar banho ou fazer escalada ou rappel.

Igatu: conheça a pequena vila ao sul da Chapada Diamantina

VLUU L200  / Samsung L200

No alto da serra, no Coração da Bahia, existe uma pequena vila com casas construídas em tocas de pedras. Lá, as pessoas se encontram na praça para conversar sem pressa e as ruínas contam histórias de garimpeiros e garimpos.

Na vila de Igatu, a vida corre num outro ritmo. É um lugar perfeito para passar ótimos dias numa tranquilidade à beira do rio percorrendo trilhas, desbravando cachoeiras e se aventurando por antigos garimpos. A pequena vila está localizada no sul da Chapada Diamantina e faz parte do município de Andaraí.

Atualmente, o local tem cerca de 400 moradores. Porém, durante o século XIX, no auge da exploração do diamante na região, chegou a ter cerca de nove mil habitantes, sendo a maior cidade da Chapada Diamantina. O diamante acabou e, no início do século XX, a cidade passou por um período muito difícil. Antigos moradores contam que nesta época, não se encontrava nada além de xique-xique (um cacto da região) e candango para se comer.

Na década de 1980, grande parte da Chapada Diamantina virou Parque Nacional e o garimpo foi proibido na região de Igatu. A Vila foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) e pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan). O turismo, ainda incipiente se comparado com a cidade vizinha de Lençóis, vai se firmando como a principal atividade para os moradores do pequeno vilarejo.

Rios e Cachoeiras. Ao redor da cidade existem várias opções para se refrescar nas horas quentes do dia. Durante o último mês de janeiro, meu lugar preferido para um mergulho rápido foi o Poço da Madalena. Localizado no Rio Coisa Boa, o local está distante cerca de 15 minutos da praça. É grande o suficiente para uma boa prática de natação.

Caminhando um pouco mais, subindo o Rio dos Pombos, outra ótima pedida é as Cadeirinhas ou Cachoeira dos Pombos. Um bom lugar para se banhar, principalmente para as crianças, pois não é muito fundo, e as pedras formam confortáveis poltronas bem embaixo das quedas d’agua. Puro desfrute.

Para caminhadores mais animados, a cachoeira do Califórnia é um passeio imperdível. A queda d’agua fica dentro de um canyon e cai forte e refrescante. São 40 minutos percorrendo o caminho de pedra que leva a Andaraí. O Califórnia foi um dos principias garimpos de Igatu, e por todo o caminho se pode observar ruínas de casas de pedras e canais de água para lavagem do cascalho.

Seguindo por uma trilha que liga Igatu a cidade vizinha de Mucugê, também existe outra linda cachoeira, com dois níveis de queda. É a conhecida Cachoeira do Taramba, para os moradores locais, ou Cachoeira do Vitorino, como aparece no mapa da região. A caminhada dura menos de uma hora.

Um pouco mais distante de Igatu, onde é preciso ir de carro sentido Mucugê por três quilômetros, encontramos a Cachoeira das Três Barras, dos Cristais e a Cachoeira da Fenda. Passeio para um dia cheio. São cerca de duas horas de caminhada (somente ida) até as Três Barras, com 40 metros de queda d’agua, e mais uma hora até as cachoeiras dos Cristais, com 60 metros de queda e da Fenda com 30 metros. Difícil é saber qual a mais bonita. O passeio é recomendado para quem está em boa forma. 

A Cachoeira da Rosinha e da Favela estão localizadas no rio Piabas. São duas horas de caminhada até atingir o leito do rio. Aqui vale a pena ir cedo para passar o dia aproveitando os excelentes poços para o banho de rio as lajes de pedras para banhos de sol. Durante todo o curso do rio as formações rochosas são impressionantes.

 Texto Francis Moreno e foto de Bere Ramos