Arquivos da categoria: Vila de Igatu

Que tipo de turismo queremos para Igatu?

De tanto falar com uns e outros sobre Igatu, a curisosidade aumenta e os turistas començam a vir. Podemos dizer que este verao pelo menos ate agora esta sendo um dos melhores em quantidade de visitantes, pessoas que movimentan Hoteis, pousadas, restaurantes, passeios e esportes.

Desde o dia 26-12 que nao para de chegar gente, familias, casais, escaladores, boulders, grupos de amigos, agencias de turismo com seus clientes.

Ta na hora si nao foi ja tarde demais de sentar na mesa e discutir Senhores que turismo queremos para Igatu.

Tenho observado diversas barbaridades que aconteceram e que especialmente estao ligadas a falencia do ordem publico ou descaso das autoridades em aplicar as leis.

Teve uma festa de aniversario que terminou em baderna as 4.30 da madrugada e que so acabou na chegada da Policia Militar. Teria que ter em Igatu pelo menos em dias de feriados, ferias, ou finais de semana um agente de policia ou guarda Municipal, a simples presencia dele ajudaria no controle de baderneros, bagunçeiros, bebados e outros problemas de ordem publico.

Tenho observado “restaurantes” trabalhando completamente na rua sem sequer agua encanada para lavar usando agua da torneira que fica na praçA Gomes do centro. Nao adianta a Vigilancia Sanitaria dizer que vai cobrar alvara Sanitario si nao ve estas coisas e outras, como bares que insistem em nao costruir um banheiro justificando que tem banheiro publico. Si vende cerveja tem que ter banheiro e agua encanada para lavar! Nem falemos de azuleijos nas paredes! mais banheiro? uma vergonha nao ter.

A bagunça dos carros estacionados na Praça principal e incrivel. Os mais importantes cartoes postais de Igatu sao a PraçA e a Igreja. A praça fica sempre entupida de carros nos feriados e ferias e ninguem toma providencia, nao tem ninguem para organizar esta bagunça menos estacionamento para os carros. Um problema que no se resolve e fica pior a cada ano que pasa.

Dos cachorros soltos na rua a os montes fazendo coco nas ruas, na praçA nos becos por todas partes.

Tem quartos alugados para os turistas sem janelas, ou janelas deficientes, banheiros entupidos de gente nos campings sem fiscalizaçao onde tem 50 pessoas ou mais para um banheiro so.

Eventos que acontecem em Igatu sem autorizaçAo porque assim podem acontecer somente aqui

sem permisao alguma e usando areas publicas.

Senhores que Turismo queremos para Igatu?

Vamos tomar uma atitude, nossas obrigaçoes nas maos ou vamos deixar acontecer?

Eu vi Lençois sendo acabado. Turismo desordero, cheio de especulaçao e virando lixo, contaminando todos os rios e corregos da cidade. Vi nascer as favelas invadindo matas e areas de proteçAo.

Eu vi Porto Seguro berço do Brasil acabando com a Natureza, cheia de faroferos que so trazem lixo e tumulto para a cidade.

Ate agora nos vem salvando os accesos ruins que temos, a falta de comunicaçAo, que nao tem internet, telefone, celular, cartao de credito, isto esta colocando um freio no Turismo, mais cedo ou mais tarde isto vai melhorar e nao estaremos capacitados para segurar a onda que vai nos invadir

e engolir.

Asseturai, Secretaria de Meio Ambiente e Turismo, Bahiatursa, Comtur, cidadaos em geral e Empreendedores de Turismo em Igatu

Igatu: conheça a pequena vila localizada no sul da Chapada Diamantina

Igatu: conheça a pequena vila localizada no sul da Chapada DiAMANTINA — BAHIA–BRASIL

Igreja de São Sebastião

Igreja de São Sebastião

No alto da serra, no Coração da Bahia, existe uma pequena vila com casas construídas em tocas de pedras. Lá, as pessoas se encontram na praça para conversar sem pressa e as ruínas contam histórias de garimpeiros e garimpos.

Na vila de Igatu, a vida corre num outro ritmo. É um lugar perfeito para passar ótimos dias numa tranquilidade à beira do rio percorrendo trilhas, desbravando cachoeiras e se aventurando por antigos garimpos. A pequena vila está localizada no sul da Chapada Diamantina e faz parte do município de Andaraí.

Atualmente, o local tem cerca de 400 moradores. Porém, durante o século XIX, no auge da exploração do diamante na região, chegou a ter cerca de nove mil habitantes, sendo a maior cidade da Chapada Diamantina. O diamante acabou e, no início do século XX, a cidade passou por um período muito difícil. Antigos moradores contam que nesta época, não se encontrava nada além de xique-xique (um cacto da região) e candango para se comer.

Na década de 1980, grande parte da Chapada Diamantina virou Parque Nacional e o garimpo foi proibido na região de Igatu. A Vila foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) e pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan). O turismo, ainda incipiente se comparado com a cidade vizinha de Lençóis, vai se firmando como a principal atividade para os moradores do pequeno vilarejo.

Rios e Cachoeiras. Ao redor da cidade existem várias opções para se refrescar nas horas quentes do dia. Durante o último mês de janeiro, meu lugar preferido para um mergulho rápido foi o Poço da Madalena. Localizado no Rio Coisa Boa, o local está distante cerca de 15 minutos da praça. É grande o suficiente para uma boa prática de natação.

Caminhando um pouco mais, subindo o Rio dos Pombos, outra ótima pedida é as Cadeirinhas ou Cachoeira dos Pombos. Um bom lugar para se banhar, principalmente para as crianças, pois não é muito fundo, e as pedras formam confortáveis poltronas bem embaixo das quedas d’agua. Puro desfrute.

Para caminhadores mais animados, a cachoeira do Califórnia é um passeio imperdível. A queda d’agua fica dentro de um canyon e cai forte e refrescante. São 40 minutos percorrendo o caminho de pedra que leva a Andaraí. O Califórnia foi um dos principias garimpos de Igatu, e por todo o caminho se pode observar ruínas de casas de pedras e canais de água para lavagem do cascalho.

Seguindo por uma trilha que liga Igatu a cidade vizinha de Mucugê, também existe outra linda cachoeira, com dois níveis de queda. É a conhecida Cachoeira do Taramba, para os moradores locais, ou Cachoeira do Vitorino, como aparece no mapa da região. A caminhada dura menos de uma hora.

Um pouco mais distante de Igatu, onde é preciso ir de carro sentido Mucugê por três quilômetros, encontramos a Cachoeira das Três Barras, dos Cristais e a Cachoeira da Fenda. Passeio para um dia cheio. São cerca de duas horas de caminhada (somente ida) até as Três Barras, com 40 metros de queda d’agua, e mais uma hora até as cachoeiras dos Cristais, com 60 metros de queda e da Fenda com 30 metros. Difícil é saber qual a mais bonita. O passeio é recomendado para quem está em boa forma. 

A Cachoeira da Rosinha e da Favela estão localizadas no rio Piabas. São duas horas de caminhada até atingir o leito do rio. Aqui vale a pena ir cedo para passar o dia aproveitando os excelentes poços para o banho de rio as lajes de pedras para banhos de sol. Durante todo o curso do rio as formações rochosas são impressionantes.

Texto francis Moreno foto de Bere Ramosfoto de Bere Ramosfoto de Bere Ramos

 

PPA para Igatu programa de Governo Municipal para os proximos 4 anos de gestao

O que foi falado entre a populaçAo de Igatu e o Prefeito e as autoridades na Praca do Mercado dia 16-07-2013

PPA para Igatu para os proximos 4 anos de gestao

 VLUU L200  / Samsung L200

Escola de Igatu en tempo integral

Manutençao da Estrada Mucuge Igatu e Andarai Igatu concerto nas pedras

Banheiros em todas as casas de Igatu faltantes avisar a Marivaldo

Saneamento Basico com recurso do IPHAN

Quadra de Esportes de Igatu sai este ano de 2013 COMENçOU!

O teto da Quadra  de Esportes em 2014

Cursos  e outras atividades expor en carteleira na Administraçao  Distrital de Igatu

Canil para animais soltos

Vigilancia Sanitaria atuante

Brazos de iluminaòao Publica para postes faltantes

Plano diretor em 60 dias  OBS. PASOU DO PRAçO!

Parapeito na curva da estrada para chegar em Igatu FOI FEITO! PARABENS PARA IGATU!

Melhorias na estrada para chegar na cach do Roncador

Reforma do banheiro publico de Igatu FOI FEITO! PARABENS PARA IGATU!

Festival de Igatu dias 5-7 de set FOI FEITO! PARABENS PARA IGATU!

Pracinha enfrente a Escola de Igatu

Esgoto Sanitario basico via IPHAN recursos tem

Lixo reciclagem local

Turismo folder

Pac de Cidades historicas

Encontro dos Prefeitos da Macro Regiao da Chapada Diamantina em Igatu FOI FEITO! PARABENS PARA IGATU!

Passeios da Vila de Igatu seguindo nosso mapa!

Peça o mapa na RecepçAo do Art Hotel Cristal no centro de Igatu bem na frente da PraçA e caminhe desfrute cada momento siga estas indicaçoes:

1-Simplesmente caminhe  a   Vila de Igatu  pois e fantastica! Tempo 2hs aprox.

2-pela Rua Sao Sebastiao visite a  Igreja  toda feita de pedras, O antigo cementerio, Museo e Galeria Arte e Memoria, ruinas do Bairro Luiz dos Santos, inicio da trilha Igatu-Passagem de Andarai tempo aprox. 2 hs

3-pela rua da Barriguda visite o Cruzeiro mirante da Vila, cachoeira das cadeirinhas, cachoeira dos pombos e inicio da trilha de Igatu para Mucuge, tempo 2 hs aprox

4- pela rua 7 de setembro, centro Cultural Chic Chic,  visite a Mina Brejo-Verruga, inicio da trilha para a Rampa de Caim, 2 hs

5- Rio Coisa Boa, banho no lago da Madalena, cachoeira das laranjeiras, tempo 2 hs aprox

6- Iniciaçao a escalada e boulders, escola de Montanhismo, Manga do ceu. Parque Urbano de Igatu

Peça no Art Hotel Cristal o mapa de Igatu para conhecer a Vila caminhando. Para passeios com guia de Turismo local peça na Recepçao ou contrate na Agencia especializada

Terno das Almas em Igatu na Pascoa

Ritual Terno das almas-realizado na cidade de Igatu-BA

 

 

 

 

 

 

 

Conheci o ritual “terno das almas” na vila de Igatú- Chapada Diamantina- BA, e fiquei absolutamente encantada com a beleza e poesia manifestada.Com poucos moradores e recortada pela exploração durante o ciclo do diamante, a Vila de Igatú é a possibilidade de um passeio intrigante e envolvente. Com seus casarios de pedras, ela também é conhecida como a Machu Picchu baiana.Para completar a minha surpresa, fiquei sabendo do ritual que é praticado todos os anos, por mulheres, na época da quaresma, com a finalidade de oferecer benditos aos mortos.

Vou reproduzir a explicação que recebi via e-mail de Marcos Zacaríades, artista plástico e criador da galeria Arte e memória. Ele também incentivou a volta do ritual, como conta a seguir:“O terno das almas é uma manifestação que ocorre durante o período da quaresma e trata-se de um ritual realizado pelas mulheres, em sua maioria, que se cobrem com um lençol branco e a noite percorrem as trilhas e becos do povoado para cantarem seus mortos. É utilizado um instrumento percussivo de madeira chamado matraca que tem a função de acordar os mortos para que ouçam os benditos que são cantados. O terno sai às ruas nas segundas, quartas e sextas feiras, fazendo tres estações em locais diversos do povoado.  Alí elas cantam e rezam.
Durante 23 anos o terno das almas tinha desaparecido das manifestações locais, sendo resgatado a partir do ano de 2003 quando propus que ex devotos se reunissem para reativá-lo,caso fosse o desejo daquelas pessoas, o que prontamente aconteceu.”

A vila de Igatú, com sua singularidade, foi uma grata surpresa, que meus olhos e coração registraram como um belo presente, neste PAÍS, que não consigo deixar de admirar e amar.

Gde abraço, em divina amizade.Sonia Guzzi

Muito obrigado Sonia Guzzi por sua colaboraçao no blog www.diamantedachapada.com.br

 

Entrada de Igatu

Sem duvidas a estrada para chegar a Vila de Igatu que nasce na BA 142 e a mais interessante e a que da uma amostra de como e o lugar e de sua historia, visto que percorre diversos garimpos, amontoados de pedras e regos antigos.

primeiras casas de Igatu

primeiras casas de Igatu

A paisagem e deslumbrante, o caminho e tudo feito de pedras com infinidade de curvas, onde podem ser observadas a flora particular dos campos rupestres e as vezes a fauna do lugar.

A pesar que da a impresao de nao chegar nunca a Vila o caminho nao e mais que 7 km e ja no ultimo km a Vila de Igatu aparece no contraforte da Serra do Sincora como um presepio, primeiro se avista a Igreja de Sao Sebastiao e o Cementerio, logo depois a Vila, o casario no meio a vegetaçao esuberante dos quintais  com mangueiras, bananeiras, goiabas, pitanga e outras plantas frutiferas.

Mais proximo do povoado vamos dar de cara com casas costruidas encima de rochas altas e ingremes

Na beira de penhascos.chapada diam2013 012

Ao cruzar o Rio Coisa Boa depois da ponte, entraremos na Vila de Igatu  por uma rua estreita ladeados por muros de pedras e observaremos as primiera duas casas todas feitas de pedras sobre pedras. A primeira impresao e fascinio pelo diferente do lugar e pelo exotico.

A viagem para chegar a Igatu compensa a sua dificultade com a beleza da paisagem-A estrada nace exatamente entre as pontes dos rios Piabas e Coisa Boa na BA 142.

Paralela a estrada de carros tem uma trilha antiga usada pelos garimpeiros e tropeiros em viagem desde a Passagem do rio Paraguassu a te Igatu e continuando para Mucuge. Foi usada por decenios.As mercadorias chegabam e circulabam por esta trilha.

A Trilha vai beirando o rio Coisa Boa  de um lado e a carrozavel beira do outro lado e  cuasi toda calçada de pedras antigas e vai entrar ao Igatu pelo Bairro em ruinas de Luiz dos Santos

Pasa pela porta da Igreja e Ceminterio e chega na praça principal de Igatu.bici a Igatu 004

E uma trilha para caminhar. Subir ou descer de bike. Sem duvidas e uma das trilhas mais bonitas do parque Nacional, no meio da trilha tem banho do rio e cachoeira do rio Coisa Boa. Para os mais curiosos e mediante um guia local pode visitar a cachoeira mais importante do local chamado de California, especial para tomar banho ou fazer escalada ou rappel.

Igatu: conheça a pequena vila ao sul da Chapada Diamantina

VLUU L200  / Samsung L200

No alto da serra, no Coração da Bahia, existe uma pequena vila com casas construídas em tocas de pedras. Lá, as pessoas se encontram na praça para conversar sem pressa e as ruínas contam histórias de garimpeiros e garimpos.

Na vila de Igatu, a vida corre num outro ritmo. É um lugar perfeito para passar ótimos dias numa tranquilidade à beira do rio percorrendo trilhas, desbravando cachoeiras e se aventurando por antigos garimpos. A pequena vila está localizada no sul da Chapada Diamantina e faz parte do município de Andaraí.

Atualmente, o local tem cerca de 400 moradores. Porém, durante o século XIX, no auge da exploração do diamante na região, chegou a ter cerca de nove mil habitantes, sendo a maior cidade da Chapada Diamantina. O diamante acabou e, no início do século XX, a cidade passou por um período muito difícil. Antigos moradores contam que nesta época, não se encontrava nada além de xique-xique (um cacto da região) e candango para se comer.

Na década de 1980, grande parte da Chapada Diamantina virou Parque Nacional e o garimpo foi proibido na região de Igatu. A Vila foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) e pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan). O turismo, ainda incipiente se comparado com a cidade vizinha de Lençóis, vai se firmando como a principal atividade para os moradores do pequeno vilarejo.

Rios e Cachoeiras. Ao redor da cidade existem várias opções para se refrescar nas horas quentes do dia. Durante o último mês de janeiro, meu lugar preferido para um mergulho rápido foi o Poço da Madalena. Localizado no Rio Coisa Boa, o local está distante cerca de 15 minutos da praça. É grande o suficiente para uma boa prática de natação.

Caminhando um pouco mais, subindo o Rio dos Pombos, outra ótima pedida é as Cadeirinhas ou Cachoeira dos Pombos. Um bom lugar para se banhar, principalmente para as crianças, pois não é muito fundo, e as pedras formam confortáveis poltronas bem embaixo das quedas d’agua. Puro desfrute.

Para caminhadores mais animados, a cachoeira do Califórnia é um passeio imperdível. A queda d’agua fica dentro de um canyon e cai forte e refrescante. São 40 minutos percorrendo o caminho de pedra que leva a Andaraí. O Califórnia foi um dos principias garimpos de Igatu, e por todo o caminho se pode observar ruínas de casas de pedras e canais de água para lavagem do cascalho.

Seguindo por uma trilha que liga Igatu a cidade vizinha de Mucugê, também existe outra linda cachoeira, com dois níveis de queda. É a conhecida Cachoeira do Taramba, para os moradores locais, ou Cachoeira do Vitorino, como aparece no mapa da região. A caminhada dura menos de uma hora.

Um pouco mais distante de Igatu, onde é preciso ir de carro sentido Mucugê por três quilômetros, encontramos a Cachoeira das Três Barras, dos Cristais e a Cachoeira da Fenda. Passeio para um dia cheio. São cerca de duas horas de caminhada (somente ida) até as Três Barras, com 40 metros de queda d’agua, e mais uma hora até as cachoeiras dos Cristais, com 60 metros de queda e da Fenda com 30 metros. Difícil é saber qual a mais bonita. O passeio é recomendado para quem está em boa forma. 

A Cachoeira da Rosinha e da Favela estão localizadas no rio Piabas. São duas horas de caminhada até atingir o leito do rio. Aqui vale a pena ir cedo para passar o dia aproveitando os excelentes poços para o banho de rio as lajes de pedras para banhos de sol. Durante todo o curso do rio as formações rochosas são impressionantes.

 Texto Francis Moreno e foto de Bere Ramos

O clima em Igatu

Igatu tem um microclima muito agradavel, devido a altura e a proteçao das serras.

As chuvas tem que começar em novembro e assim podemos dizer que começa a estaçao das chuvas e as temperaturas mais altas.

A estaçao das chuvas vai ate abril, sendo pelo menos uma chuva por mes. Estas nao sao chuvas demoradas, sao pancadas, as vezes muito fortes, que trazem muita agua  para os corregos e rios, provocando fortes e perigosas correntezas. Seria um ano bom de chuvas si tiver pelo menos duas destas chuvas por mes. Assim se garante a agua para o inverno que e a estaçao da seca de abril ate novembro.

A estaçao da seca ou o  inverno e caracterizado pelas neblinas as manhas cinzas e um pouco humedas, humedade trazida do litoral. O sol sai ao meio dia e esquenta bem. As vezes uma pancada acalma a sede da Natureza mais e raramente.

Tem anos mais chuvosos e outros menos. Em geral o clima pode ser catalogado como tropical seco, de noite esfria um pouco especialmente quando as frentes frias do inverno vindas do sul tocam suavemente a Bahia.

Igatu e mais seco que Lençois, Capao ou Ibicoara. O indice pluviometrico ronda os 700 mm por ano.

Os fenomenos do ninho e da ninha influem como em todo o subcontinente americano as estaçoes deixando mais ou menos seco o clima da Chapada Diamantina.