Arquivos da categoria: Nós

10 Estrategias de ManipulaçAo da Midia

Chomsky e as 10 Estratégias de Manipulação da Mídia:

O linguista estadunidense Noam Chomsky elaborou a lista das “10 estratégias de manipulação” através da mídia:

1- A ESTRATÉGIA DA DISTRAÇÃO.

O elemento primordial do controle social é a estratégia da distração que consiste em desviar a atenção do público dos problemas importantes e das mudanças decididas pelas elites políticas e econômicas, mediante a técnica do dilúvio ou inundações de contínuas distrações e de informações insignificantes. A estratégia da distração é igualmente indispensável para impedir ao público de interessar-se pelos conhecimentos essenciais, na área da ciência, da economia, da psicologia, da neurobiologia e da cibernética. “Manter a atenção do público distraída, longe dos verdadeiros problemas sociais, cativada por temas sem importância real. Manter o público ocupado, ocupado, ocupado, sem nenhum tempo para pensar; de volta à granja como os outros animais (citação do texto ‘Armas silenciosas para guerras tranquilas’)”.

2- CRIAR PROBLEMAS, DEPOIS OFERECER SOLUÇÕES.

Este método também é chamado “problema-reação-solução”. Cria-se um problema, uma “situação” prevista para causar certa reação no público, a fim de que este seja o mandante das medidas que se deseja fazer aceitar. Por exemplo: deixar que se desenvolva ou se intensifique a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público seja o mandante de leis de segurança e políticas em prejuízo da liberdade. Ou também: criar uma crise econômica para fazer aceitar como um mal necessário o retrocesso dos direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos.

3- A ESTRATÉGIA DA GRADAÇÃO.

Para fazer com que se aceite uma medida inaceitável, basta aplicá-la gradativamente, a conta-gotas, por anos consecutivos. É dessa maneira que condições socioeconômicas radicalmente novas (neoliberalismo) foram impostas durante as décadas de 1980 e 1990: Estado mínimo, privatizações, precariedade, flexibilidade, desemprego em massa, salários que já não asseguram ingressos decentes, tantas mudanças que haveriam provocado uma revolução se tivessem sido aplicadas de uma só vez.

4- A ESTRATÉGIA DO DEFERIDO.

Outra maneira de se fazer aceitar uma decisão impopular é a de apresentá-la como sendo “dolorosa e necessária”, obtendo a aceitação pública, no momento, para uma aplicação futura. É mais fácil aceitar um sacrifício futuro do que um sacrifício imediato. Primeiro, porque o esforço não é empregado imediatamente. Em seguida, porque o público, a massa, tem sempre a tendência a esperar ingenuamente que “tudo irá melhorar amanhã” e que o sacrifício exigido poderá ser evitado. Isto dá mais tempo ao público para acostumar-se com a ideia de mudança e de aceitá-la com resignação quando chegar o momento.

5- DIRIGIR-SE AO PÚBLICO COMO CRIANÇAS DE POUCA IDADE.

A maioria da publicidade dirigida ao grande público utiliza discurso, argumentos, personagens e entonação particularmente infantis, muitas vezes próximos à debilidade, como se o espectador fosse um menino de POUCA idade ou um deficiente mental. Quanto mais se intente buscar enganar ao espectador, mais se tende a adotar um tom infantilizante. Por quê? “Se você se dirige a uma pessoa como se ela tivesse a idade de 12 anos ou menos, então, em razão da sugestão, ela tenderá, com certa probabilidade, a uma resposta ou reação também desprovida de um sentido crítico como a de uma pessoa de 12 anos ou menos de idade (ver “Armas silenciosas para guerras tranquilas”)”.

6- UTILIZAR O ASPECTO EMOCIONAL MUITO MAIS DO QUE A REFLEXÃO.

Fazer uso do aspecto emocional é uma técnica clássica para causar um curto circuito na análise racional, e por fim ao sentido critico dos indivíduos. Além do mais, a utilização do registro emocional permite abrir a porta de acesso ao inconsciente para implantar ou enxertar idéias, desejos, medos e temores, compulsões, ou induzir comportamentos…

7- MANTER O PÚBLICO NA IGNORÂNCIA E NA MEDIOCRIDADE.

Fazer com que o público seja incapaz de compreender as tecnologias e os métodos utilizados para seu controle e sua escravidão. “A qualidade da educação dada às classes sociais inferiores deve ser a mais pobre e medíocre possível, de forma que a distância da ignorância que paira entre as classes inferiores às classes sociais superiores seja e permaneça impossível para o alcance das classes inferiores (ver ‘Armas silenciosas para guerras tranquilas’)”.

8- ESTIMULAR O PÚBLICO A SER COMPLACENTE NA MEDIOCRIDADE.

Promover ao público a achar que é moda o fato de ser estúpido, vulgar e inculto…

9- REFORÇAR A REVOLTA PELA AUTOCULPABILIDADE.

Fazer o indivíduo acreditar que é somente ele o culpado pela sua própria desgraça, por causa da insuficiência de sua inteligência, de suas capacidades, ou de seus esforços. Assim, ao invés de rebelar-se contra o sistema econômico, o individuo se auto-desvalida e culpa-se, o que gera um estado depressivo do qual um dos seus efeitos é a inibição da sua ação. E, sem ação, não há revolução!

10- CONHECER MELHOR OS INDIVÍDUOS DO QUE ELES MESMOS SE CONHECEM.

No transcorrer dos últimos 50 anos, os avanços acelerados da ciência têm gerado crescente brecha entre os conhecimentos do público e aquelas possuídas e utilizadas pelas elites dominantes. Graças à biologia, à neurobiologia e à psicologia aplicada, o “sistema” tem desfrutado de um conhecimento avançado do ser humano, tanto de forma física como psicologicamente. O sistema tem conseguido conhecer melhor o indivíduo comum do que ele mesmo conhece a si mesmo. Isto significa que, na maioria dos casos, o sistema exerce um controle maior e um grande poder sobre os indivíduos do que os indivíduos a si mesmos.


 

 

1 Encontro Diamantino de Contato improvisaçao de Xique Xique de Igatu ao Vale do Capao

A percepção do corpo sutil envolve o dançarino que explora espaços vivos, em relação direta com a matéria prima do seu movimento. Neste encontro propomos o desfrutar de diferentes estímulos para o desenvolvimento de uma dança sensorial, explorando possibilidades e sentidos.

Esta itinerância por algumas das mais belas localidades da Chapada Diamantina, propõe o desvendar como o espaço dançado, pode ser matéria essencial para inspiração e renovação da dança.

Este encontro acontecerá em 3 fases consecutivas, tendo cada uma delas condições e custos diferentes, sendo opcional a participação em todas, de acordo com a disponibilidade de cada ser dançante.

Estaremos em Igatu de 28 de dezembro à 5 de janeiro, seguindo para o Vale do Capão de 6 a 11 de janeiro e na sequência realizaremos a caminhada dançante atravessando o Vale do Pati, de 12 a 17 de janeiro.

Estrear 2014 dançando em diamantino estilo nas montanhas sagradas da Bahia! Um encontro de co-criação, com capacidade limitada para 40 pessoas (incluindo professores e produção).

Igatu – Uma cidade atmosférica, lúdica, onde o significado da palavra “fabulosa” ganha reforço. Habitantes gentis, curiosos e cheios de história. Folclore forte, onde o Bumba Meu Boi e a Folia de Reis de Andaraí se encontrarão com o C.I. através do corpo e do movimento.

Professores queridos com disciplinas e pesquisas que vibram com a proposta e com o cenário de Igatu.

Professores confirmados: Sasha Bezrodnova (Rússia), Autarco Arfini (Argentina), Heike Kuhlmann (Alemanha) e Aline Bernardi (Brasil). Musicoterapeuta convidado: Daniel Ramam irá propor algumas sessões de banho sonoro coletivo, também irá criar texturas musicais através do improviso em algumas Jams temáticas e em vivencias ao ar livre.

IMPORTANTE: Apesar da vontade de encontrar todos os contateiros nesse paraíso fizemos uma ponderação consciente e mediante o tamanho dos salões e a disponibilidade de estadia em alta estação, serão disponibilizadas apenas 30 vagas em Igatu e algumas a mais no Capão e Pati. Confirme sua inscrição com antecipação.

Informações sobre custos, hospedagem, alimentaçao, como chegar, professores e propostas, por favor, consulte no nosso wordpress

http://encontrodiamantino.wordpress.com/

Co-criando! sugestões, edições e ajustes são bem vindos.

Cheguem junto, vai ser incrivelmente diamantino!

For information in Spanish and English, please see the menu on wordpress.

EMBASA em Igatu conselhos uteis

Como aproveitar corretamente e de forma consciente a agua que Embasa nos “regala” em Igatu

De acordo com a Organização das Nações Unidas, cada pessoa necessita de cerca de 110 litros de água por dia para atender suas necessidades de consumo e higiene.

No entanto, no Brasil, o consumo por pessoa pode chegar a mais de 200 litros/dia!!!

agua desperdicio

Conselhos uteis:

O banho deve ser rápido. Cinco minutos são suficientes para higienizar o corpo. A economia é ainda maior se ao se ensaboar fecha-se o registro.

A água que cai do chuveiro também pode ser reaproveitada para lavar a roupa ou qualquer outra atividade da casa.

Para isso, deve-se colocar um balde ou bacia embaixo para armazenar aquela água.

Hora do banho

Banho de ducha por 15 minutos, com o registro meio aberto, consome 135 litros de água. Se fechamos o registro, ao se ensaboar, e reduzimos o tempo para 5 minutos, o consumo cai para 45 litros.

No caso de banho com chuveiro elétrico, também em 15 minutos com o registro meio aberto, são gastos 45 litros na residência. Com os mesmos cuidados que com a ducha, o consumo cai para 15 litros.


Se uma pessoa escova os dentes em cinco minutos com a torneira não muito aberta, gasta 12 litros de água. No entanto, se molhar a escova e fechar a torneira enquanto escova os dentes e, ainda, enxaguar a boca com um copo de água, consegue economizar mais de 11,5 litros de água.

Ao lavar o rosto em um minuto, com a torneira meio aberta, uma pessoa gasta 2,5 litros de água. A dica é não demorar.

O mesmo vale para o barbear. Em 5 minutos gastam-se 12 litros de água. Com economia o consumo cai para 2 a 3 litros.

Descarga e vaso sanitário


Não use a privada como lixeira ou cinzeiro e nunca acione a descarga à toa, pois ela gasta muita água. Uma bacia sanitária com a válvula e tempo de acionamento de 6 segundos gasta de 10 a 14 litros.

Bacias sanitárias de 6 litros por acionamento (fabricadas a partir de 2001) necessitam um tempo de acionamento 50% menor para efetuas a limpeza, neste caso pode-se chegar a volumes de 6 litros por descarga.

Quando a válvula está defeituosa, pode chegar a gastar até 30 litros. Mantenha a válvula da descarga sempre regulada e conserte os vazamentos assim que eles forem notados.

Lugar de lixo é no lixo. Jogando no vaso sanitário você pode entupir o encanamento. E o pior é que o lixo pode voltar pra sua casa.

Na cozinha


Ao lavar a louça, primeiro limpe os restos de comida dos pratos e panelas com esponja e sabão e, só aí, abra a torneira para molhá-los. Ensaboe tudo que tem que ser lavado e, então, abra a torneira novamente para novo enxágue. Só ligue a máquina de lavar louça quando ela estiver cheia.

Numa casa, lavando louça com a torneira meio aberta em 15 minutos, são utilizados 117 litros de água. Com economia o consumo pode chegar a 20 litros.
Uma lavadora de louças com capacidade para 44 utensílios e 40 talheres gasta 40 litros. O ideal é utilizá-la somente quando estiver cheia.

Na higienização de frutas e verduras utilize cloro ou água sanitária de uso geral (uma colher de sopa para um litro de água, por 15 minutos). Depois, coloque duas colheres de sopa de vinagre em um litro de água e deixe por mais 10 minutos, economizando o máximo de água possível.

Você sabia que ao se utilizar um copo de água, são necessários pelo menos outros 2 copos de água potável para lavá-lo. Por isso, combata o desperdício em qualquer circunstância.


Na area de serviço

 

Junte bastante roupa suja antes de ligar a máquina ou usar o tanque. Não lave uma peça por vez.
Caso use lavadora de roupa, procure utilizá-la cheia e ligá-la no máximo três vezes por semana.

Se na sua casa as roupas são lavadas no tanque, deixe as roupas de molho e use a mesma água para esfregar e ensaboar. Use água nova apenas no enxágue. E aproveite esta última água para lavar o quintal ou a área de serviço.

Ao lavar a roupa, aproveite a água do tanque ou máquina de lavar e lave o quintal ou a calçada, pois a água já tem sabão.

Lavar roupa

No tanque, com a torneira aberta por 15 minutos, o gasto de água pode chegar a 279 litros. O melhor é deixar acumular roupa, colocar a água no tanque para ensaboar e manter a torneira fechada. E que tal aproveitar a água do enxágue para lavar o quintal?

A lavadora de roupas com capacidade de 5 quilos gasta 135 litros. O ideal é usá-la somente com a capacidade total.

Use um regador para molhar as plantas ao invés de utilizar a mangueira.


Ao molhar as plantas durante 10 minutos o consumo de água pode chegar a 186 litros. Para economizar, a rega durante o verão deve ser feita de manhãzinha ou à noite, o que reduz a perda por evaporação. No inverno, a rega pode ser feita dia sim, dia não, pela manhã. Mangueira com esguicho-revólver também ajuda. Assim, pode-se chegar a uma economia de 96 litros por dia!

Se você tem uma piscina de tamanho médio exposto ao sol e à ação do vento, você perde aproximadamente 3.785 litros de água por mês por evaporação, o suficiente para suprir as necessidades de água potável (para beber) de uma família de 4 pessoas por cerca de um ano e meio aproximadamente, considerando o consumo médio de 2 litros / habitante / dia. Com uma cobertura (encerado, material plástico), a perda é reduzida em 90%.

Adote o hábito de usar a vassoura, e não a mangueira, para limpar a calçada e o pátio da sua casa.
Lavar calçada com a mangueira é um hábito comum e que traz grandes prejuízos. Em 15 minutos são perdidos 279 litros de água.
Se houver uma sujeira localizada, use a técnica do pano umedecido com água de enxágue da roupa ou da louça.

Use um balde e um pano para lavar o carro ao invés de uma mangueira. Se possível, não o lave durante a estiagem (época do ano em que chove menos).
Muita gente gasta até 30 minutos ao lavar o carro. Com uma mangueira não muito aberta, gastam-se 216 litros de água. Com meia volta de abertura, o desperdício alcança 560 litros. Para reduzir, basta lavar o carro somente uma vez por mês com balde. Nesse caso, o consumo é de apenas 40 litros.


fonte sabesp
22 de março: Dia mundial da Agua! Comemore, voce que vive em Igatu e tem a Embasa que por agora nao cobra pelo consumo da Agua, seja consciente no uso, nao desperdice.

Premiaçao da Maratona 42K de Igatu na Chapada Diamantina

 

Resultados provisórios Maratona Chapada Diamantina Igatu – BA

novembro 20 | Escrito por Corridas de Montanha | DESTAQUES

LOGO

NUMERO NOME MODALIDADE EQUIPE VOLTA 1 VOLTA 2 VOLTA 3 TEMPO FINAL
101 FERNANDO AMISTÁ SOARES DUPLA MASCULINO FAMÍLIA AMISTÁ 01:55:35 02:39:20 04:33:20 05:12:47
100 FLAVIO CAMARA DE SOUSA DUPLA MISTO STREET RUNNERS 02:07:09 03:01:17 05:37:19 06:30:46
200 MICHAELA MEIER QUARTETO FEMININO POUSADA APARAS / DRIKA ACADEMIA 02:14:30 03:35:19 07:05:10 08:04:25
207 JONIVALDO TELES DE SOUZA QUARTETO MASCULINO PREVFOGO 01:40:47 02:14:32 04:06:45 04:32:41
208 MANOEL FELIPE DE ANDRADE NETO QUARTETO MASCULINO ACVM – ASSOCIAÇÃO DOS CONDUTORES 02:02:35 02:31:03 04:26:41 04:54:55
201 ROBERIO DE MATOS RODRIGUES QUARTETO MISTO STREET RUNNERS 01:48:10 02:39:36 04:34:58 05:06:10
203 FABIANA BONFIM BARBUZANO QUARTETO MISTO STREET RUNNERS 02:16:52 03:20:15 05:46:33 06:39:58
204 ROBERTO PAULINO MAGALHAES QUARTETO MISTO STREET RUNNERS 02:16:50 03:06:51 06:06:27 06:43:35
202 EDUARDO ALVES AMORAS QUARTETO MISTO STREET RUNNERS 02:20:55 03:18:39 06:35:02 07:29:19
58 FERNANDO CAMPANHA DOS ANJOS SOLO A.E.C.KAUE 01:34:18 02:13:15 04:26:40 05:09:10
65 FRANCISCO ALEXANDRE SOUSA VALADARES SOLO BRIGADA ALTITUDE DA CHAPADA DIAMANTINA 01:37:22 02:16:58 04:30:25 05:12:46
59 DENÍLSON SANTOS SILVA SOLO STREET RUNNERS 01:39:10 02:20:44 04:39:20 05:37:45
57 NELSON  YANASSE SOLO ARENA-MOGI DAS CRUZES 01:44:20 02:26:34 05:02:23 05:52:03
56 ANTONIO CARLOS DE MORAIS SOLO THC / MARCORRER 01:46:33 02:26:05 05:12:02 05:55:12
64 JORGE ALVES DOURADO SOLO BVL 01:43:48 02:32:40 05:05:52 05:59:39
60 ALMIR SFALSIN SOLO CERAMICA BARRO NOVO 02:01:48 02:51:18 05:35:49 06:34:40
54 JOAO ROBERTO GUIMARAES SOLO GUIMARÃES E GUIMARÃES 01:56:18 02:52:15 05:54:17 06:53:40
66 LUCAS E. MENEZES SANTOS SOLO BRIGADA DE IGATU 01:56:19 02:48:46 06:12:27 07:04:50
51 AILTON AMISTÁ SOARES SOLO FAMÍLIA AMISTÁ 02:25:07 07:16:00
61 MARCELO DE OLIVEIRA RODRIGUES SOLO MARCELO 02:07:50 03:07:38 06:32:50 07:34:25
62 FLÁVIA CHRISTIANI LINS DE MEDEIROS SOLO BICHO DO MATO 02:41:58 03:52:29 07:46:06 08:45:52
53 APARECIDA PRADO GUIMARAES E GUIMARAES SOLO GUIMARAES E GUIMARAES 02:49:15 04:14:30 08:55:03
50 RAONI VENTURIERI DE ANDRADE LIMA SOLO PAPALEGAS 02:40:40 04:05:56 08:16:35 08:58:32

Um comentário para “Resultados provisórios Maratona Chapada Diamantina Igatu – BA”

 

 

Telefone, internet, estradas em Igatu: COMUNICAçAO = 0

Todo ano a mesma coisa, chega o mes de novembro e nao temos mais comunicaçao
Comunicacao =0.No seculo das comunicaçoes o Igatu fica isolado!
Igatu depende totalmente do Turismo, nao tem outra saida. Concorda comigo ou voce e dos que pensa que o Garimpo ainda vai dar sustento a Vila? Especulaçao imobiliaria? Eu acho que tambem nao e a saida ao final nao tem tantas pessoas chegando e se estabelecendo aqui.
So alguns valentes que estamos investindo na Vila desde MUITOS anos, a pulso, com dinheiro proprio, sem ajuda de ninguem, nem Banco nem Governo, acreditando simplesmente no futuro. Como e que fica ano traz ano a mesma situaçao?
Quais as medidas a tomar? Abaixo assinado? Mais conversas com a Prefeitura? Mais promessas?
Ou fechar as portas? Desempregar? Abandonar Igatu as moscas?
Porque assim nao da! Ja e um lugarzinho perdido nas montanhas, isolado e longe de Lençois, longe das tres principais cidades da Bahia. Ja e muito dificil trazer turistas para ca.
Isto ja foi falado em inumeras reunioes, entre empreendedores de Igatu, inclusive com o Prefeito, com o Secretario de Turismo, com o Sebrae, etc, etc. Mais nada muda!
Entra ano sai ano e a coisa continua igual.
Basta començar o periodo de chuvas em novembro e a internet cai, mais nao e por meia hora ou uma hora, e dias, e mais dias, Como pode? Eu digo que e equipamento obsoleto! Nao e posSivel nos dias de hoje ficar dias sem internet! Nao e possivel trabalhar com Turismo sem internet. E todo ano a mesma situaçAo, chegam as chuvas e acabou sinal.
O mesmo para o telefone, temos da OI uma central pequena e obsoleta que nao atende a demanda
Si falam tres pessoas ao mesmo tempo, acabou sinal, si entram tres telefonemas juntos a Igatu acabou o sinal, si chove acaba o sinal, mesmo sem chuvas mais com o aumento da demanda, acabou sinal.
Porque e via satelite entao o sinal vai embora si tem chuva. Entao em novembro e dezembro na hora de fechar nossas reservas para o verao o telefone e a internet nao funcionan.
Do celular nem se fala pois nao tem sinal de nenhuma operadora. Os turistas riem quando a gente fala que tem que subir um morro para ver si pega o celular, sinal so da Claro pois a antena mais proxima fica a 18 km em Andarai.
Cartao de Credito ou debito melhor nao perguntar, incrivel nos dias de hoje nao poder cobrar ao cliente com cartao, hoje em qualquer parte e por razoes de segurança a pessoa nao anda mais com dinheiro no bolso.
Começam as chuvas e a estrada para Mucuge fica intransitavel, a estrada para Andarai começA a ficar perigosa, Todos nos sabemos que Igatu e um lugarzinho escondido mais colaborar com o isolamente e demais.

Eu digo a os Sres empreendedores do Turismo em Igatu, a Asseturai, ao Contur, a Prefeitura, ao Sr Prefeito, Ao Sr Secretario de Turismo, o que vamos fazer para desemvolver o Turismo em Igatu?
Vamos lutar pelos nossos direitos! Abraçe esta causa Sr. Empreendedor de Turismo.

Prioridade: Comunicaçao
Juntese a nos Prefeito! Voce que e Empresario e pessoa inteligente tambem entenda nossas reivindicaçoes, defenda Igatu, voce que diz uma vez que Igatu era seus olhos, um diamante que precisava ser lapidado.
A todos vamos reclamar e exigir da Oi para que mude  a central de telefonia de Igatu por uma via radio e mais potente, vamos insistir com a Ibsol para que modernice as instalacoes visto que pagamos 60 reais de assinatura mensal ( deve ser o serviço de internet mais caro do Brasil) vamos lutar para que instalem uma antena de celular aqui em Igatu, vamos pedir as autoridades que mantenham as estradas em condiçoes de ir e vir. Comunicaçao e a alma do negocio, nao esqueça disto!

Guilherme Arantes = Festival de Igatu

Voce sabia que da pra curtir o novo album ” condiçao Humana” interinho pelo Youtube?  acesse:

Condição Humana ( Sobre o Tempo ) Ghilherme Arantes
arantes

Resolvi mostrar nesse disco, logo de cara, que existe uma “pegada” no piano, (já que o segredo está mesmo nas mãos) “pegada” essa que ninguém jamais vai me copiar. Cada um tem a sua “pegada” no instrumento, eu tenho a minha, e as pessoas gostam de mim por isso, acima de qualquer outra coisa. Isso é claro.

Então este é um disco de “pegada”.O som do Guilherme, com a sonoridade única da virada dos 70 para os 80, está de volta.

Desta vez foi mandatório não fazer nenhuma concessão e não ficar ouvindo abobrinha de nenhum produtor que tenha caído “de para-quedas” no meu trabalho…

Me juntei com a minha banda – Luiz Sergio Carlini ( guitarras, violões ) , Willy Verdaguer ( baixo ), Alexandre Blanc ( guitarras e violões ), Gabriel “Frejat” Martini ( baterias, percussões) e com minha equipe, pra fazer um disco que fosse seminal, no mínimo.

Um disco que passasse a minha visão de estranhamento num mundo que até às vezes parece perfeito…O meu incômodo numa sociedade que até às vezes parece evoluir para a felicidade geral… O meu desconforto num “sistema” que tenta passar a imagem de que a tudo engole, a todas as diferenças se adapta, a todas as minorias contempla, um “sistema” a cada dia mais justo, porém amorfo e chocho, sem arestas nem contestações.

Um “sistema” que transforma todas as inquietações em mercadoria. Uma absoluta “ordem social” politicamente correta, com todos os perigos que essas “perfeições de ordem social” nos remetem. Eu precisava vomitar um disco que viesse sanguinolento, com “guts”, com “culhões” de quem tem o que dizer e está pouco se lixando se o mundo vai aceitar ou não…

Os festivais de música são um desfile bem-comportado de artistas competentes em sua função utilitária de servir à massa, que é uma imensa e generalizada “balada”. Tudo é uma confortável “balada”. Nunca houve um tempo tão ridículo em maneirismos e hábitos, quanto este atual. Essa é a minha sensação e das pessoas da minha geração. Não temos nada mais a perder, estamos na virada dos 60, vovôs, e podemos ser ranzinzas à vontade – aliás, é o melhor que podemos fazer . Um dia, lá na frente, as pessoas vão rir das galeras postando seus vazios nas redes no celular, assim como hoje parecem ridículas nossas roupas e cabelos dos anos 80… Pra minha geração, que viu e viveu os anos 60, Woodstock, Luther King, Godard e a convulsão no cinema, barricadas nas ruas de Paris, o sangue nos porões de uma latino-america lancinante, o mundo em 2013, que não acabou em 2012, é de uma acomodação geral, hilariantemente inaceitável. O “sistema” já equacionou e sabe lidar com as contraposições e propostas alternativas, e a tudo rapidamente amolda em “boxes” de mercado…

As letras deste disco, deste ano, não podiam excluir essa sensação de náusea. Náusea com a corrupção mundial, os ratos dos governos invariavelmente por trás de toda a perversidade e sacanagem do mundo. Náusea com o mercadejar da fé, nesse tempo de tantos apelos ao plano “sobrenatural”, tão ridículo e podre quanto os poderes terrenos. Náusea porque o “politicamente correto” inclui um “respeito” à mentira e à empulhação. Indignação porque todo dia o noticiário traz novas desilusões, o dinheiro correndo solto na impunidade geral. Náusea porque o mundo caminha claramente para o colapso, porque as corporações não estão nem aí e vão até o fim, até a curva populacional explodir, já que nem curva é mais, e sim um elevador vertical rumo a um formigueiro boçal onde a ignorância e a grosseria são parte da “atitude”. O importante é ter “atitude”. O importante não é o que somos, mas o que está na rede. O que não está na Rede, não está no mundo…
Claro que eu fiz algumas canções de amor, já que nem só de indignação e inconformidade se transforma o mundo…

Tem até o resgate de uma “canção de gesta”, que fiz aos 16 anos de idade.

Todas as canções falam do tempo.

Daí o sub-título “Sobre o Tempo”. É esse tempo que passou, e que ainda nos resta, que interessa. É a urgência do grito,e o olhar panorâmico sobre o acervo do que vivi.

Uma conclusâo eu tirei da minha crise :

Jovem é quem corre para a morte. Velho é quem foge dela. Se estou correndo para a morte, ansiando pelo tempo que me resta correr veloz, então ainda sou jovem. Se estou tentando evitar a morte, se procuro qualquer atalho ou ponte para atravessar o destino inevitável, então estou velho. Não à toa, com este disco eu me sinto de novo com 20 anos.

Guilherme Arantes

 

 

Baiana Arretada! Ju Moraes – Festival de Igatu

Baianas arretadas! Ju Moraes e Ivete Sangalo dividem palco pela primeira vez

Além de cantar com um dos ícones do Axé, a finalista do The Voice Brasil se apresentou ao lado de Saulo Fernandes e do cantor Tatau

RTEmagicC_Ju_Moraes_txdam11411_aaf404.jpg

Ju Moraes está com tudo e não está prosa! A finalista do The Voice Brasil, mostrou que veio para ficar e colhe os frutos do trabalho pós programa: a cantora dividiu, na noite desta quinta-feira (25), o palco com grandes nomes do axé como Ivete Sangalo, Saulo Fernandes e Tatau, vocalista do Araketu.

Ivete prestigia Ju Moraes no camarim (Foto: Reprodução/Filipe Rodrigues)Ivete prestigia Ju Moraes no camarim

O show apresentou seu novo trabalho autoral “Em Cada Canto um Samba” para o público da Bahia. E Ivete foi a primeira a compartilhar os microfones com a conterrânea, levando todos os seus músicos e fazendo um mini show ao lado da ex-participante. Juntas, as belas cantaram sucessos como “Dançando” e “Acelera Aê”.

Sangalo fez questão de contar para o público de sua admiração por Ju Moraes. Segundo a cantora, ela acompanha o trabalho de Ju desde antes do The Voice e sempre torce por ela, pelo talento e determinação da finalista.

Em seguida, quem subiu no palco foi Saulo Fernandes, que é um dos compositores da atual música de trabalho de Ju Moraes, “Na Palma da Mão”. Por último, Tatau, vocalista do grupo Araketu, ferveu o público em ritmo de carnaval, com hits como “Pipoca” e “O Araketu é Bom Demais”. Emocionada, Ju Moraes classificou a festa ao lado dos ídolos como a sensação de dever cumprido. “Arrepiada até agora… Que presente maravilhoso, Meu Deus! Cada um teve sua parcela de culpa, mas a energia VOCÊS… Foi o maior destaque. Lindo demais! #EmCadaCantoUmSamba!”, se derreteu Ju em agradecimento nas redes sociais.

Fonte TVG

Flavio Venturini no Festival de Igatu

Flavio Venturini

Flávio Venturini nasceu em Belo Horizonte, em 23 de julho de 1949. Descobriu a música aos 3 anos de idade. Aos 15 anos começou sua formação musical. Acordeon foi o seu primeiro instrumento. Logo depois ganhou de seu pai um piano, e assim começou seus estudos na Fundação de Educação Artística” de Belo Horizonte, onde estudou percepção musical e piano.

Carreira

Foi revelado nos anos 1970 pelo movimento Clube da Esquina, que também revelou Milton Nascimento, Lô Borges, Beto Guedes, entre outros. Participou do grupo musical O Terço1 , entre 1974 e 1976, antes de criar em 1979 o grupo 14 Bis, pelo qual fez sucesso entre 1980 e 1989, quando saiu do grupo para seguir carreira solo1 , também com grande sucesso.

Entre seus principais sucessos, como compositor ou intérprete, estão “Todo Azul do Mar”, “Linda Juventude”, “Planeta Sonho”, “Nascente” (a canção que mais foi regravada, por artistas brasileiros e estrangeiros[carece de fontes]), “Nuvens”, “Caçador de Mim”, “Espanhola” (parceria com Guarabyra, da dupla Sá e Guarabyra), que é sua música mais conhecida e foi um grande hit entre 1986 e 1987; e “Mais Uma Vez” (parceria com Renato Russo, líder da Legião Urbana, que foi gravada originalmente pelo 14 Bis em 1987 e ganharia uma nova versão em 20032 , apenas com a voz de Renato e incluída na trilha sonora da telenovela Mulheres Apaixonadas). Da carreira-solo, destacam-se, entre outras músicas, “Princesa”, “Besame” e “Céu de Santo Amaro”.